• denuncias
  • peticionamento
  • protocolo
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • autenticidade de documentos
  • lgpd
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Não categorizado
  • Projeto "A poesia do Jongo" promove inclusão e empoderamento na comunidade quilombola do Degredo
  • Aderes
  • Chamamento público órgaos e entidades
  • Audiência empregabilidade lgbt
  • WhatsApp Image 2024-06-17 at 18.52.42
  • Arte intranet Pra Mia
  • Novos telefones PTMs 3
  • Divulgação feed vermelho
  • Aderes lança manual de boas práticas para Associações de Catadores de Materiais Recicláveis do Espírito Santo
  • Chamamento público para cadastro de órgãos e entidades
  • Exposição Transeuntes: um convite a olhar pelos olhos do outro
  • MPT participa de reunião da Mesa Regional Permanente de Diálogo na Cafeicultura do Espírito Santo
  • PRT17 participa de Grupo Especial de Fiscalização Móvel
  • Exposição fotográfica "Transeuntes" destaca a comunidade LGBTQIAPN+
  • MPT-ES recebe visita de representantes da UNIDAS
  • MPT-ES realiza audiência para monitorar condições de trabalho na produção de cana-de-açúcar no sul do estado
  • Oficina de fotografia promove representatividade e inclusão de pessoas LGBTQIAPN+
  • Procurador-chefe do MPT-ES prestigia posse de dois novos desembargadores do TJES
  • Capacitação no MPES visa fiscalização e cobrança dos instrumentos das políticas de resíduos sólidos
  • MPT realiza audiência sobre empregabilidade da população LGBTQIAPN+
  • 2º Encontro das Chefias dos Ministérios Públicos do Espírito Santo acontece na PRT-17ª Região
  • Nova HQ aborda assédio eleitoral
  • Confira o Plano de Gestão da Unidade (PGU) da PRT-17ª Região
  • MPT-ES adere à campanha de arrecadação de tampinhas para castração de animais
  • ATENÇÃO: atualização dos contatos telefônicos das Unidades do MPT no interior do Espírito Santo
  • MPT-ES tem novo canal de atendimento virtual

Projeto "A poesia do Jongo" promove inclusão e empoderamento na comunidade quilombola do Degredo

Um acordo homologado pela Vara do Trabalho de Linhares em ação civil pública destinou recursos para a realização de evento cultural na comunidade quilombola do Degredo, localizada em Linhares. A oficina “A poesia do Jongo” foi ministrada pelo Instituto Casa Poema entre os dias 22 e 26 de janeiro.

Tudo começou com a ação proposta pelo Ministério Público do Trabalho no Espírito Santo (MPT-ES) em face do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Linhares (SAAE/Linhares). O acordo homologado pelo juiz do Trabalho Carlos Fonseca permitiu que música e versos conectassem gerações e resgatassem tradições ancestrais na comunidade quilombola do Degredo.

Projeto

O Instituto Casa Poema, entidade escolhida para promover a oficina, realiza em diversas comunidades quilombolas pelo Brasil um projeto chamado "A poesia do Jongo". A ideia é celebrar a oralidade ancestral e utilizar a poesia para fortalecer a identidade das comunidades quilombolas.

O Jongo é uma manifestação cultural que possibilita o elo entre as novas e as antigas gerações, representa a força das comunidades quilombolas. Como explica o professor e pesquisador Danilo Santos: " No Jongo a dança mostra a construção de elos que simbolizam a força da ancestralidade e da cultura da comunidade do Degredo."

A arte trazida pelo corpo pedagógico do instituto soma-se à força identitária dos povos tradicionais. Segundo Elisa Lucinda, poetisa capixaba e fundadora do instituto, "O trabalho com as palavras e o mergulho na produção poética das comunidades através do Jongo fazem com que haja um estímulo da força raiz dessas comunidades, um fortalecimento na tradição da oralidade."

Evento

No recital de encerramento, que aconteceu na quinta-feira, 25, sob os olhares atentos do juiz do Trabalho Carlos Fonseca; do procurador do Trabalho Vitor Borges; do secretário-geral judiciário do TRT-17, Vitorio Bianco; e dos professores do instituto, um a um os participantes declamaram os poemas escolhidos, todos de artistas negros.

Segundo Nando Rodrigues, um dos professores da oficina, "Os poemas falam muito sobre a escravidão, luta antirracista e isso casa perfeitamente com a realidade do lugar. Quilombo é lugar de luta e resistência."

Pedro Costa, mestre de Jongo e patriarca da comunidade quilombola do Degredo, expressa sua gratidão: "Receber o projeto aqui na nossa comunidade foi maravilhoso”. Segundo Pedro a oficina ofereceu a oportunidade de recuperar, através da palavra, o amor dos mais jovens pela cultura popular e ancestral.

Para a participante Marcilene, foi um momento importante de troca de saberes: jovens e velhos juntos compartilhando experiências, compartilhando as histórias de infância, de quando tudo começou. “É importante para os jovens entenderem a força que tem a palavra e o quanto nos fortalece sabermos nos expressar, para assim podermos buscar nossos direitos.”

Proximidade da justiça

“São eventos como esse, em que a comunidade local é diretamente beneficiada pelos recursos provenientes de um processo judicial, que fazem a Justiça se aproximar da sociedade”, disse o juiz Carlos Fonseca. “No caso da Justiça do Trabalho, essa proximidade é essencial para que nós, julgadores, conheçamos de perto a realidade que nos cerca e que é afetada pelas nossas decisões. Foi um verdadeiro privilégio participar de um momento tão belo e enriquecedor, do ponto de vista histórico, social e cultural” completou.

Confira algumas fotos aqui!

Créditos: Coordenadoria de Comunicação Social e Cerimonial (CCOM) - ccom@trtes.jus.br

Texto e fotos: Francine Costa

Imprimir

  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • meio ambiente
  • trabalho escravo
  • trabalho portuario
  • liberdade sindical
  • promocao igualdade
  • trabalho infantil
  • banner corrupcao
  • banner abnt
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • MPT em Quadrinhos
  • banner pcdlegal
  • Portal de Direitos Coletivos